quarta-feira, 4 de julho de 2012

Organização do Laboratório de Análises e Pesquisa


O laboratório deve ser visto como um local especial de trabalho, pois o mesmo pode se tornar perigoso caso não seja utilizado adequadamente. Devido ao tipo de trabalho desenvolvido nos laboratórios os riscos de acidentes a que estão sujeitos os laboratoristas são os mais variados possíveis. Na maioria das vezes, o laboratório é montado em local já existente acarretando utilização inadequada dos espaços e mobiliários, disposição incorreta das instalações e falta de equipamentos de proteção coletiva e individual. O laboratório não deve ser um local improvisado, mas apresentar condições ideais para se desenvolver um trabalho dentro de padrões de segurança adequados.
            Os laboratórios devem possuir um manual de segurança contendo normas gerais de segurança e técnicas laboratoriais básicas e o responsável pelo laboratório deve transmitir e orientar os seus colaboradores quanto aos procedimentos corretos de trabalho e as atitudes que devam tomar para evitar possíveis acidentes. São comuns acidentes por exposições a agentes tóxicos e/ou corrosivos tais como queimaduras, incêndios, explosões e lesões causadas por condições inseguras de trabalho.  Os laboratoristas, estagiários e colaboradores necessitam serem orientados sobre as regras e os procedimentos básicos que devem ser implantados e utilizados em laboratórios visando à segurança de todos. É interessante definir os termos mais empregados em segurança de laboratório.
Segurança no trabalho: é o conjunto de medidas técnicas, administrativas, educacionais, médicas e psicológicas que são empregadas para prevenir acidentes, quer eliminando condições inseguras do ambiente, quer instruindo ou convencendo pessoas na implantação de práticas preventivas.
Risco: é o perigo a que determinado indivíduo está exposto ao entrar em contato com um agente tóxico ou certa situação perigosa.
Toxicidade: é qualquer efeito nocivo que advém da interação de uma substância química com o organismo.
Acidentes: são todas as ocorrências não programadas, estranhas ao andamento normal do trabalho, das quais poderão resultar danos físicos e/ou funcionais e danos materiais e econômicos.
Atividades ou operações insalubres: são aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos. (NR 15, CLT).
Atividades ou operações perigosas: são aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado. (NR 16, CLT).
Cuidados com agentes químicos: Os diversos agentes químicos podem entrar em contato com o organismo humano por inalação, absorção cutânea e ingestão, sendo a inalação a principal via de intoxicação.
       Quando se fala da organização de um laboratório não podemos esquecer das instalações do sistema de gás, água, eletricidade, pisos e paredes, sem esquecer dos EPI’s e EPC’s, que são fundamentais  para o bom trabalho de um laboratório, tais como óculos, luva, gorro, avental, capelas fluxo laminar etc. Também é importante lembrar da importância da gestão e controle de resíduos do laboratório cujo os mesmos devem ser descartados de maneira correta, para evitar o risco de acidentes.  É necessário estar atendo ao armazenamento das soluções e reagentes químicos, para que não haja interação entre os mesmos e sempre observar as orientações do fabricante, pois o mesmo possui informações importantes que devem ser consideradas.
         Texto baseado na disciplina ‘Prática Industrial’ ministrada pelo Prof. Dr. André Bellin Mariano.

Aluna: Ozana Santos

Orientador: Prof. André Bellin Mariano, D.Sc.

Referências:
www.biomedicina3l.com
www.biologico.sp.gov.br
www.liapromulo.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário